Dicas para aproveitar melhor suas aulas no Congresso Tribal

POR GABRIELA MIRANDA 

Muitas alunas se perguntam antes de um evento: “Vou fazer um monte de aulas, e agora? Como eu lembro de tudo? Como eu me organizo? Como aproveito o conteúdo? Será que vou lembrar depois?”

O Congresso Tribal Sul-Americano está chegando e junto com a sua proximidade é importante termos algumas dicas em mente para aproveitar ao máximo o conteúdo de todas – e muitas!- aulas maravilhosas que o festival oferece.

Além de roupas confortáveis, snujs, sapatilhas e tudo o mais, é indispensável que você sempre leve um caderno de anotações. Eu sou das antigas então não gosto de anotar conteúdo de aula no celular ou tablet durante a aula de outro professor. E como professora nunca sabemos se a aluna está no celular falando com o namorado ou prestando atenção na aula e fazendo anotações… Então eu recomendo um caderninho mesmo, para escrever no papel. Isso também ajuda a memorizar melhor o que recém foi aprendido.

Se você for aluna e também professora, recomendo que você tenha um caderno separado para as aulas que faz e as aulas que dá, obviamente, e se você puder separar os cadernos por estilos ou assunto (caso você estude mais de uma coisa ao mesmo tempo como a maioria de nós), melhor para achar tudo mais fácil depois. Quando você for passar tudo para o celular ou computador depois, sugiro que crie pastas dedicadas somente ao conteúdo aprendido e também divididas por assuntos e nunca esqueça de fazer back up amiga, é sério, isso dá cada prejuízo…

A primeira dica é tentar estar completamente presente durante a aula para ampliar seu rendimento. Se você está ali, realmente esteja ali. Não pense nos seus afazeres de casa, ou na apresentação que fará depois. Esteja consciente do momento, assim o conteúdo se fixará melhor. Durante o workshop faça anotações breves e não hesite em fazer perguntas, mas somente após o professor ter terminado a explicação. Muitas perguntas são automaticamente respondidas quando acalmamos nossa ansiedade e simplesmente ouvimos a explicação completa do passo, combo ou técnica que for, deixando o professor concluir seus planos de ensino.

Após o término de cada workshop corra para o caderno e anote em tópicos o que você aprendeu. Se só lembrar de um item, não tem problema, isso significa que você pelo menos aprendeu algo novo. Quanto mais tópicos fizer, maior será seu acervo de ferramentas para dançar depois. Essas anotações são maravilhosas para ajudar no processo criativo, inclusive para aqueles momentos que a inspiração falha numa coreografia ou num planejamento de aula… As suas anotações são valiosas!

Se você deseja memorizar alguma sequência específica que aprendeu, pratique e se filme fazendo. Alguns professores permitem filmagem também, mas é sempre muito proveitoso você se filmar dançando também e assim conseguir ir corrigindo as falhas técnicas e as características que deseja modificar em sua estilização dos passos e combos aprendidos.

Lembre-se que raramente uma sequência ensinada ficará exatamente igual a que a professora passou logo no dia que você a aprendeu, pois corpo, tempo de aprendizagem e técnica são pessoais e variam muito de bailarina para bailarina. Mas com prática e dedicação, os resultados evoluem continuamente. O estudo e a prática nunca acabam na dança.

Quando os eventos terminam, eu costumo fazer uma lista com reflexões para mim mesma sobre o que senti, vivi e aprendi durante o evento e quais minhas conclusões. Eu sempre me sinto transformar a cada evento que participo… a troca de experiências, o aprendizado das aulas e mesmo os estresses do back stage nos ensinam muito. Eventos que reúnem uma grande quantidade de pessoas que amam a mesma coisa, nesse caso o mesmo estilo de dança, sempre dão uma mexida com as pessoas em diferentes escalas.

Se permita entrar no mundo da dança durante esse período de evento, antes de voltar ao seu mundo pessoal. Esteja consciente, esteja presente. Interaja com suas amigas e colegas, troque conteúdo e experiências. Beba o conhecimento de todos os professores a que tiver acesso. Tiete as bailarinas que ama, inclusive suas amigas e troque carinho com suas companheiras de grupo… Compartilhe amor. E assim, quando voltar pra sua rotina, seja ela com dança ou não, certifique-se de que os ensinamentos, reflexões e insights que teve durante o evento que participou irão com você para sua vida junto com a sua vivência e suas anotações… Pois isso irá tornar você uma bailarina muito mais completa do que qualquer sequência técnica: a maneira como você se relaciona com o que aprende e com o que já sabe.

Seja grata por cada ensinamento transmitido e pela oportunidade de aprender com pessoas semelhantes e diferentes de você. Use esse conteúdo para ampliar sua ligação com a dança e se conectar com sua essência criadora, através de técnicas transmitidas por diversas pessoas e suas diferentes interpretações de um mesmo estilo de dança. Estudar é uma das melhores partes de dançar, na minha opinião.

Use o conhecimento que adquirir para construir a sua propria dança como quiser e moldar sua própria realidade. Afinal, parafraseando George Santayana, “o artista é um sonhador que consente em sonhar o mundo real”.
Aproveite! Nos vemos em breve 🙂

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s